Atualizado às 17h24min.

BARRA MANSA
O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, divulgou no sábado (28), que dois médicos do município testaram positivo para o novo coronavírus. Eles trabalham em outra cidade e possivelmente foram contaminados em serviço. Os pacientes estão em isolamento domiciliar há 14 dias e passam bem.
Drable reafirmou a necessidade de as pessoas permanecerem reclusas em suas casas. “Existe um movimento no Brasil para que as pessoas retomem as suas atividades profissionais. Governadores e prefeitos estão sendo pressionados para liberar o funcionamento do comércio e das empresas. Há uma inquietação social muito grande. Precisamos preservar vidas, eliminando as possibilidades de contágio e a sobrevivência econômica. Por outro lado, precisamos estar preocupados em deter o avanço dessa doença”, destacou.
O prefeito lembrou que está transformando uma UPA, que estava fechada, para atender os possíveis doentes. “Em Barra Mansa, estamos concluindo as adequações necessárias para que a UPA da Região Leste seja um Centro de Triagem de Infectologia. Já fizemos a reforma e estamos aguardando que o Governo do Estado nos envie equipamentos, inclusive respiradores e monitores. Vamos funcionar com 10 leitos completos de UTI. Diante dessa realidade, a sociedade precisa ter consciência da gravidade da situação e entender que ainda não é o momento de voltarmos às atividades”, afirmou.

Degue: ALERTA

Dengue: Alerta

Drable fez um apelo para que aproveitem esse momento de quarentena e cuidem dos quintais, áreas e casas, a fim de evitar outro grave problema: a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya.
Ele reforçou a necessidade de doação de cestas básicas para auxiliar as famílias que estão passando por dificuldades alimentares. Disse que aqueles que puderam fazer a doação devem entrar em contato com a secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, que a equipe providenciará meios de buscar os mantimentos. O telefone/Whatsapp do órgão é (24) 99987-5992.
Com referência à volta às aulas, o prefeito disse que o decreto municipal vai até o dia 13 de abril, mas que poderá ser renovado. “Não vamos voltar enquanto não for seguro”, concluiu.
Foto: Arquivo/Paulo Dimas.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).