VOLTA REDONDA

Atualizado às 19h22min.
Imagina dormir e acordar todos os dias com um lixão bem debaixo do seu nariz. É exatamente assim que vivem moradores no limite de Volta Redonda, no Sul do Rio. O local, usado indevidamente, como depósito de lixo doméstico causa transtornos dia e noite para quem vive na Rua Carlos Gomes, no bairro Santa Inês.
Nossa equipe foi acionada para ver de perto como é o local usado como lixão. Tudo porque a empresa de coleta alega que o caminhão não acessa o local. O impasse permanece e os moradores são os mais prejudicados. “Moro aqui a mais de 30 anos, nunca veio caminhão aqui recolher. Tem uma lixeira lá embaixo. Ninguém sobe aqui para resolver o problema. Estamos esquecidos aqui”, ressaltou a moradora que vive em frente ao lixão.
A moradora, de 75 anos, diz que o local é infestado de ratos e animais como baratas, aranhas, mosquitos, cobras e outros insetos. Ela cuida de um marido acamado com AVC. “Meu marido não consulta há mais de um ano. Ainda tem esse problema que os moradores depositam o lixo aqui, que não um local adequado, e a prefeitura não toma providência para recolher. Mal cheiro e risco para saúde de todos”, frisou a idosa. Ainda tem, segundo especialista, o risco ambiental. NO acumulo de lixo saio chamado “Chorume” que contamina o solo e a água. Além de matar qualquer sinal de vegetação nativa.
Entramos em contato com a prefeitura, na tarde de domingo (16), mas até o momento desta publicação não havia sido mandado nenhuma resposta para o problema. Caso enviem uma nota atualizaremos o texto.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).