<
SUL FLUMINENSE

Atualizado às 17h02min.
O Comitê da Bacia da Região Hidrográfica Médio Paraíba do Sul (CBH-MPS) pretende intensificar o monitoramento da bacia no Sul do Rio. A ideia é vai priorizar ações e a aquisição de um equipamento específico, uma sonda, para a realização de um monitoramento das águas do Rio Paraíba do Sul e afluentes de toda sua área de atuação.
O medo é que se repita com na crise hídrica ocorrida em 2014/2015. Na época houve a redução da vazão dos rios, o que comprometeu a quantidade e a qualidade da água distribuída para a população. Especialistas afirmam que estamos prestes a viver uma nova crise hídrica no país.
A intenção é ter um monitoramento contínuo da qualidade de água. Isso inclui a coleta de dados e de amostras de água em locais específicos, feita em intervalos regulares de tempo, segundo o órgão. Além disso, gerar informações que possam ser utilizadas para permitir uma avaliação adequada da qualidade da água.
O projeto está dividido em três fases. A primeira, de diagnóstico rápido, consiste na aquisição de uma sonda móvel para a realização de campanhas de amostragem. Tudo isso, em pontos definidos pelo Comitê Médio Paraíba do Sul com objetivo quali-quantitativo.
No entanto, na segunda etapa vem o diagnóstico completo para enquadramento. Isso com base nas campanhas iniciais do diagnóstico serão realizadas análises completas de amostras com vistas ao enquadramento de trechos de cursos hídricos estaduais com objetivo quali-quantitativo. Nesta fase deverá ser desenvolvido ainda, o Plano de monitoramento da RH-III – Médio Paraíba do Sul.
Por último., o monitoramento contínuo. A ideia é ter a sonda e Plano de Monitoramento do comitê. Para isso será preciso a compra e financiamento para criação de laboratório móvel de análises que também vai analisar os dados quali-quantitativos da região.
O comitê revelou que, em março deste ano, foi comprada uma sonda que será utilizada para o diagnóstico dos rios. O próximo passo é a capacitação das pessoas que farão o manuseio e a calibração desta nova ferramenta.Para coordenar as ações do projeto, foi criado no Comitê o Grupo de Trabalho (GT) Monitoramento. De acordo com o GT, no momento está sendo realizada a compra dos insumos necessários para a capacitação e serão formadas turmas para membros do CBH e técnicos envolvidos.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui

2 × 4 =