Criança espancada em Porto Real está internada em coma
Foto: Reprodução/G1.
<
PORTO REAL

Atualizado às 12h49min.
A criança, de 6 anos, espancada em Porto Real está internada em coma em um hospital particular de Resende, no Sul do Rio. A mãe da menina agredida e companheira, identificadas como Gilmara [mãe] e Brena [esposa], estão presas e tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva.
O casal e a criança viviam em uma casa de três cômodos, segundo a polícia, no bairro Jardim das Acácias. A investigação aponta que Brena e Gilmara se conheceram pela internet. Gilmara, mãe da criança, morava em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense e veio morar com a namorada em Porto Real. A polícia ainda descobriu que Brena é acusada de esfaquear uma ex-namorada. Ainda suspeita de agredir a própria mãe e a avó de 85 anos, que moram juntas na mesma casa.
Vizinhos revelaram a polícia que nem desconfiavam que uma criança vivia na residência. A suspeita é que a menina era mantida trancada. Segundo a investigação, as cinco pessoas viviam na casa em péssimas condições de higiene.
A polícia revelou que a menina agredida violentamente porque teria derramado leite no chão. A menina teria pegado uma caixa de leite, aberto e em seguida aberto outra caixa e deixado cair o líquido na casa. A mãe da menina contou na delegacia que ainda seria obrigada pela companheira a bater na própria filha “para não apanhar”.
A menina teria sido espancada por pelo menos três dias seguidos. Ela foi atingida por chutes, socos e até um fio de televisão. Em uma das sessões de tortura, a mãe e a criança foram jogadas de um barranco, nos fundos da casa, que fica às margens do Rio Paraíba do Sul. Antes disso, a menina teria sido jogada contra a parede. Ao defender a filha, a companheira teria jogado as duas da ribanceira, segundo a polícia.
Vendo que a criança não reagia bem, a mãe chamou o Samu. Para a equipe de socorro, a mãe contou que a menina tinha sido atingida por um pedaço de madeira. No Hospital de Porto Real um guarda municipal desconfiou da história e acionou a polícia que prendeu o casal em flagrante. Elas estão na Casa de Custódia de Volta Redonda. Elas aguardam custódia para transferência para um presídio no Rio de Janeiro.
Barranco, às margens do Rio Paraíba do Sul
Barranco foi o local onde mãe e filha teriam sido jogadas durante espancamento. Foto: Reprodução/G1.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).