Atualizado às 23h01min.

RODRIGO MATIAS 
O Dia da Consciência Negra é celebrado no Brasil anualmente no dia 20 de novembro. Em 2011 foi instituído, oficialmente no país, através da Lei 12.519, o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra como símbolo da morte de Zumbi dos Palmares, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares, representando a luta do negro contra a escravidão que assolava o país anos atrás.
Mas será que a “consciência negra” está sendo praticada de fato em nosso país?
Homicídios entre jovens negros são quase três vezes maiores do que brancos e chegam a 185 por 100 mil. Número de 2017 foi divulgado pelo IBGE, que apontou desigualdade racial no quesito violência no Brasil.
Negros são 75% entre os mais pobres; brancos, 70% entre os mais ricos.
Segundo o levantamento no informativo “Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil”, divulgado também pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 55,8% da população em 2018 se declarou preta ou parda (a soma das duas raças resulta nos negros). Entretanto, no estrato dos 10% com maior rendimento per capita, os brancos representavam 70,6%, enquanto os negros eram 27,7%. Entre os 10% de menor rendimento, isso se inverte: 75,2% são negros, e 23,7%, brancos.
Isso só para mostrar estátisticas dos últimos 02 anos. Creio que ainda estamos longe de uma “consciência”, independente da cor. Existem saldos positivos? Sim! Mas o saldo negativo ainda é esmagador no país da “consciência negra”.
Apesar de ser um dia comemorativo oficialmente instituído NÃO é Feriado Nacional. No estado do Rio, nas 92 cidades é feriado. Como no estado do Amapá, Amazonas e Alagoas. Porém, no Distrito Federal, Mato Grosso, Acre, Pará, Rondônia, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima e o estado de Sergipe não é feriado.
Apesar dos pesares, seguimos. Combinaram de nos matar, mas nós combinamos de não morrer. A luta é árdua por representatividade e igualdade, e vamos tentando avançar. E um alerta negro. “Eduquem seus filhos para não serem racistas, pois estamos ensinando os nossos para revidar”.
O que você acha? Deixe um comentário e até a próxima semana.
Foto: Ilustrativa.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).