Atualizado às 11h05min.

VOLTA REDONDA
As comemorações pelos 197 anos de independência do Brasil em Volta Redonda reuniu mais de 30 mil pessoas, na Avenida Paulo de Frontin, no Aterrado, no sábado (7). Pessoas de todas as idades participaram do desfile cívico-militar que lotou as margens da avenida. Mais de cem entidades, incluindo instituições militares, representantes do poder público e da sociedade civil desfilaram, representando o município.
Por cerca de cinco horas, a população viu passar pela Avenida Paulo de Frontin parte da história recente de Volta Redonda e suas conquistas por meio das secretarias municipais, que apresentaram seus principais programas. E ainda por grupos militares e entidades civis que contribuem para o desenvolvimento do município.
O desfile, realizado em quatro fases, foi aberto pela Banda e Coral Municipal, que foram seguidos pelos ex-combatentes. Logo após, desfilaram a Academia Militar das Agulhas Negras, grupos de escoteiros do município e as secretarias de Cultura – com a participação da Fanfarra da Terceira Idade; Ação Comunitária; e Esporte e Lazer; além da Fundação Beatriz Gama.
O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, não esteve no desfile por conta do falecimento da avó, sepultada na sexta-feira (6). Porém, fez questão de agradecer às instituições que fizeram a festa acontecer e à população que prestigiou o maior desfile de 7 de Setembro da região.
Volta Redonda mostra sua força por meio deste desfile. É uma maneira da população conhecer de perto um pouco dos programas desenvolvidos pelo poder público municipal. Passaram pela avenida o Tarifa Comercial Zero; os programas para idosos das secretarias de Ação Comunitária e Esporte e Lazer; as unidades escolares da Rede Municipal de Ensino, acompanhadas pelos alunos/músicos do Projeto Volta Redonda Cidade da Música; os cursos profissionalizantes da Fundação Beatriz Gama e muito mais”, enumerou Samuca.
O vice-prefeito Maycon Abrantes afirmou que o número de instituições participantes do desfile cívico-militar e o comparecimento em massa do público, se deve ao reconhecimento da preocupação do governo municipal com o avanço de nossa cidade. “Apesar das dificuldades financeiras, os investimentos na área da Saúde fazem de Volta Redonda referência na região, na área ambiental também somos destaque no estado. Além de manter um olhar especial para a Educação, pois só existe mudança por meio da Educação”, falou.

A diferença de idade entre os participantes da festa se igualava quando o quesito era alegria. A mesma empolgação em desfilar se via no semblante de Irene Maria Baylão, de 75 anos, que faz parte de um grupo da terceira idade que faz aula de dança em núcleo da Secretaria de Ação Comunitária, no bairro Vila Americana, e no rosto das crianças João Pedro Serqueira e Sofia Silvério Vieira, ambos de 10 anos, músicos de Bandas Mini, do Projeto Volta Redonda Cidade da Música.
É uma alegria participar, a dança me dá disposição, energia, e quero mostrar esse benefício para todos”, contou Irene.
Para João Pedro, que toca bumbo e cursa o 5º ano na Escola Municipal Paraíba, o desfile é a concretização de muito trabalho. “Ensaiamos muito para fazer bonito na avenida. Mas vale a pena o esforço”, disse, acrescentando que esta é a terceira vez que participa do 7 de Setembro.
Na plateia, a animação ficava por conta das crianças. Munidas de bandeirinhas alusivas à data e bolas de soprar, balançavam os braços a cada grupo que passava. Deyse Ribeiro Costa, moradora do Conforto, estava com a filha Sofia, de apenas dois anos, atenta à passagem da outra filha, Daphiny de nove anos, que desfilou pela Escola Municipal Damião Medeiros.
Venho sempre acompanhar a mais velha, mas hoje quem mais está se divertindo é a Sofia”, contou.
A segunda fase do desfile abriu com o Lar Recanto das Crianças e Lar Pestalozzi, da Apae-VR. Mas o destaque ficou por conta da Secretaria de Educação, que trouxe o projeto Volta Redonda Cidade da Música. A Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda) encerra o bloco com a Banda de Concerto apresentando os colégios, programas e projetos. Na terceira fase estavam a Ordem Demolay e Filhas de Jó, Rotaract Club Cidade do Aço e as escolas particulares e estaduais do município.

O último bloco era formado pela Equipe de Kart – Programa Piloto Cidadão, Falcões de Aço Moto Club, Jeep Clube, Equipe Thugs, Equipe Vivendo no Baixo 272º, Arena 22, Clube de Antiguidades Automotivas, Clube Chevetteiros, Clube dos Opaleiros, Clube do Fusca e Clube Hípico de Volta Redonda.
Para hastear a Bandeira Nacional foi convidado o vice-prefeito, Maycon Abrantes; a do Mercosul foi erguida pelo presidente da Câmara de Vereadores de Volta Redonda, Edson Quinto; para hastear a bandeira do Estado do Rio de Janeiro participou o tenente-coronel Valério Januzzi, comandante do 22º Grupamento de Bombeiro Militar; e o hasteamento da bandeira de Volta Redonda ficou a cargo do veterano da 2ª Guerra Mundial, o tenente Francisco Leal, acompanhado da filha Maria Isalete.
Fotos: Gabriel Borges.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).