PM dentem com um disparo marido que tentava esfaquear mulher em VR
<
VOLTA REDONDA

Atualizado às 19h44min.
O comandante da Guarda Municipal de Volta Redonda, João Batista dos Reis, e mais três cargos de chefia da Guarda Municipal de Volta Redonda, depuseram, na tarde de quarta-feira (8), na Câmara de Vereadores da cidade. A Comissão Especial de Inquérito (CEI) começou apurar denúncias de possíveis casos de abuso de autoridade, tortura e assédio moral, contra outros guardas.
A comissão foi aprovada, por unanimidade, para apurar as denúncias que chegaram a até os parlamentares, depois que nosso portal divulgou uma série de informações de suspeita de práticas de abusos, possivelmente por parte do comando da guarda.
A comissão é presidida pelo vereador Sidney Dinho (Patriotas) e tem como membros os vereadores Jorginho Fuede (PSDB) e Antônio Régio Dias, o Lela (PSC). A comissão, que é assessorada pelo procurador jurídico da CMVR, Alexandre Thuller.
O comandante da Guarda Municipal, João Batista dos Reis, compareceu na abertura da investigação no Legislativo para depor. Outros três comandados também foram depor, o subcomandante Silvano Teixeira de Paula; o corregedor Valdo Gomes Rocha e do responsável pelo setor de inteligência, Ronaldo Botelho.
Vereador denuncia suposto assédio moral e tortura do comandante da Guarda de Volta Redonda
Dinho (à esquerda) foi quem teve a coragem de subir na tribuna e falar das denúncias de abusos na Guarda de VR.
Várias matérias veiculadas na imprensa local, sobre possíveis abusos cometidos pela direção da guarda em suas dependências, no dia a dia de serviço foram anexadas no dia da abertura das investigações. A direção do Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Volta Redonda (SFPMVR) enviou à comissão documentos sobre as denúncias.
Os convocados foram ouvidos separadamente. De acordo com ao presidente da comissão, todos negaram os fatos amplamente divulgados na mídia e redes sociais. A comissão agora vai ouvir as supostas vítimas dos abusos e testemunhas que presenciaram os possíveis abusos.
– A princípio, novos depoimentos serão tomados na próxima segunda-feira (13). O objetivo é trazer para os autos as versões de ambos os lados e, o que é mais importante, buscar a verdade real dos fatos – afirmou Dinho.
O comando da Guarda não procurou nossa redação para esclarecer qualquer fato. Mesmo quando foram publicadas as matérias sobre as suspeitas de abuso. Enviamos perguntas para prefeitura, que na época também não respondeu. Foi pedido um direito de resposta e mesmo concedido ao comandante, de forma extrajudicial, o mesmo não quis exercer o direito. No entanto, caso ainda queira, este veículo está pronto para divulgar.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:  
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).