<

Atualizado às 01h15min.


BARRA DO PIRAÍ 

O corpo de Joice da Silva Caldeiras, de 22 anos, foi sepultado com caixão lacrado e as pressas, na tarde dessa terça-feira (10), no Cemitério de Vassouras-RJ. O estado avançado de decomposição e como ficou o corpo da jovem encontrada morta em uma fazenda do distrito de Vargem Alegre, em Barra do Piraí, obrigou que a cerimônia fosse rápida.

A suspeita que ela tenha sido morta no sábado (07). O corpo só foi encontrado na tarde de segunda-feira (09), em uma cova rasa, perto de um curral, no meio de uma capinheira (mato para gado).

O SUL FLUMINENSE ONLINE teve acesso a fotos tiradas instantes depois que o corpo foi desenterrado. Joice vestia uma camisa azul de mangas compridas finas e o restante do corpo estava despido. Ela teve o pescoço quebrado, um afundamento na testa e uma das pernas quebrada. Um saco, usado para armazenar ração, teria sido encontrado envolvendo a cabeça de Joice.

As buscas…

Funcionários e parentes procuraram Joice pela fazenda no domingo (08). Ela não foi encontrada. Na segunda (09) eles voltaram a procurar a jovem. Foi o marido de uma tia da vítima e outros funcionários que teriam encontrado o corpo, por causa do pé que estava descoberto pela terra. O corpo foi colocado atrás de um curral, em meio a uma capinheira de mato alto, em uma cova rasa.

A partir daí a polícia foi acionada. A perícia foi feita e corpo encaminhado para o IML. Parentes disseram que no corpo teria sido identificado sinais de sêmen. O Instituto Médico Legal ainda não havia confirmado a informação, até o momento em que publicamos está matéria. Há suspeitas de que a Joice tenha sido violentada, segundo a polícia.

Réu confesso está solto

Um correspondente do SFO conseguiu confirmar na tarde dessa terça (10), que Leonardo Silva Araújo, de 24 anos, confessou que foi ele quem matou Joice. Porém, o assassino confesso vai responder pelo crime em liberdade. Até a confirmação da confissão do colega de trabalho de Joice, a afirmação era feita pela família da jovem.

Tentaremos contato com o delegado responsável pelo caso, da 88ª DP, em Barra do Piraí-RJ, nessa quarta (11). Um homem, casado com uma tia da vítima e até o marido de Joice chegaram a ser apontados como possíveis autores do crime.

Joice vinha sofrendo com assédio de Leonardo, segundo relatou na delegacia o marido dela um dia depois do desaparecimento. Segundo o marido, Leonardo teria dito para Joice que “se ela não ficasse com ele, não ficaria com mais ninguém”.

Brechas na lei

A investigação ainda está no início. O caso, antes considerado desaparecimento, agora é tratado como homicídio. Até o momento ninguém foi preso. Mesmo confessando o crime, o principal suspeito, um amigo de trabalho de Joice, foi solto, depois de prestar depoimento, na 88ª Delegacia de Polícia de Barra do Piraí-RJ. Este portal vai acompanhar as investigações até que um culpado seja preso e o caso encerrado.