VOLTA REDONDA

Atualizado às 21h52min.
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da promotora Andréa da Silva Araújo, pediu à Justiça, na quinta-feira (10), o adiamento do leilão das linhas da Viação Sul Fluminense em Volta Redonda, que estava marcada para a próxima quarta-feira (16).
A empresa teve a falência decretada em setembro deste ano pelo juiz da 5ª Vara Cível, Alexandre Custodio Pontual, que determinou o leilão. O pedido é para que o evento seja transferido para o dia 23 deste mês. São 27 linhas que irão a leilão.
No pedido, a justificativa do MPRJ aponta a necessidade de “esclarecer a suspeita de que o fracionamento dos lotes foi realizado de modo a se privilegiar os atuais exploradores dos serviços locais” e requer que o Sindpass (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros) explique a “justeza e adequação da divisão dos lotes”, chamando a atenção para a possibilidade de que não haja interessados em todos. Pede, ainda, que seja avaliada a proposta de fracionamento em três lotes, de modo “equivalente, viável e interessante economicamente todos os lotes”.
Outro argumento apresentado no pedido de adiamento do leilão é que o edital não teve a publicidade adequada, tendo sido divulgado apenas em um jornal local. Vereadores debateram na última sessão ordinária, na terça (8), sobre o assunto. Parlamentares cogitaram a criação de uma comissão para tentar entender como seria feito o certame e que empresas participariam. Mais de um hora de discussão, foi comentado que um dos parlamentares tinha entrado com uma denúncia no MPRJ de suspeição de vícios do leilão.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:  
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por opiniões de leitores na matéria).