Atualizado às 23h53min.

VOLTA REDONDA 
A Câmara de Vereadores de Volta Redonda realizou na segunda-feira (10) uma audiência pública dedicada a debater Políticas Públicas de Proteção para Pessoas em Situação de Rua. A audiência foi presidida pelo vereador Edson Quinto (PR). Participaram da mesa o secretário de Ação Comunitária, Marcus Vinícius Convençal; a subsecretária estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Diane Arais e a subsecretária da Mulher de Volta Redonda, Renata Lopes. Cerca de 200 pessoas participaram da audiência.
Segundo dados apresentados pelas secretarias, municipal e estadual, em 2018 foram registrados 23.100 atendimentos para pessoas em situação de rua no estado. Comparando com o número de Centro Pop, que são 18 Centros Pop em todo estado do Rio de Janeiro. Dois deles estão na capital, em que existem cinco mil pessoas morando na rua. Em Volta Redonda, existem 90 pessoas em situação de rua. Cerca de 80% dessas pessoas são migrantes, segundo o secretário de ação comunitária.
Marcos Vinícius Convençal, secretário de Ação Comunitária de Volta Redonda, agradeceu a iniciativa do vereador e comentou que o número de pessoas em situação de rua “aumentou muito”, segundo ele em todo país. Ele ressaltou que foi criado um grupo de trabalho pela prefeitura para atender essas pessoas. A proposta é de que essas pessoas busquem voltar para o convivo familiar.
– Existem pessoas que querem ficar na rua. Temos que pensar como essas pessoas não vão ferir o direito dos outros nem o os deles. Um grupo de trabalho existe para dar suporte as pessoas aos ‘aparelhos’ que a cidade dispõe para atender essa demanda”, afirmou.
Subsecretária apresenta dados e projetos para o estado do RJ que não tem um senso do número de moradores de rua.
A subsecretária estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Diane Arais, ressaltou que a cidade “sai na frente” em criar uma audiência sobre o tema. Ela sugeriu que seja feito um fórum com a participação dos moradores de rua.
– Ouvir essas pessoas é fundamental. Precisamos ampliar as políticas de atendimento no estado. As pessoas não têm acessados esses centros se considerarmos os dados. Para falar no assunto precisamos tocar no tema educação, saúde, serviço social e de habitação também – lembrou.
O vereador autor do requerimento da audiência, Edson Quinto, se disse satisfeito com a audiência. “Promover o debate é fundamental para encontrarmos saídas para os problemas. Recebemos todos os dias pessoas aqui na Câmara. Temos um abrigo e temos serviços e acabamos sendo referência na região. Saio da audiência com alguns projetos de lei para incentivar a ajuda. Fazer um cadastro, buscar ajuda e participar junto a eles poderemos fazer mais”, finalizou o parlamentar.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui