Delegacia Porto Real
Foto: Arquivo.
<
PORTO REAL

Atualizado às 12h36min.
Ainda é grave o estado de saúde da menina, de 6 anos, espancada em Porto Real, no Sul do Rio. A mãe e a companheira dela, madrasta da menina, também foi detida acusada de participar das agressões contra a criança. A mãe da criança foi presa depois de prestar depoimento na delegacia (100ª DP).
A sogra da mãe da menina, de 50 anos, também foi autuada por omissão de socorro. Ela mora no mesmo imóvel e contou que foi ameaçada para não denunciar. Segundo ela, a criança chegou a ser jogada de um barranco em um dos episódios de agressão. As agressões teriam sido motivadas por causa de um copo de leite que a criança teria derrubado ao se alimentar na sexta-feira (16). A polícia também informou que a mãe da vítima relatou em depoimento, que a suposta companheira estaria com ciúmes da criança.
A mãe da menina, de 27 anos, foi autuada por tortura. A companheira, de 25 anos, é suspeita de agredir a criança e vai também responder por tortura. Ela foi detida no bairro Jardim das Acácias, depois da menina dar entrada em estado grave no Hospital de Porto Real. A menina teria sofrido com chutes e ponta pés. Elas ainda confessaram que usaram um cabo de TV para bater na menina.
A polícia revelou que o hospital foi quem acionou a polícia sobre o caso. Em seguida, elas foram levadas para delegacia. A menina foi transferida em estado gravíssimo para um hospital da cidade vizinha de Resende. A criança está internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI), de um hospital particular.
A menina permanece viva, mas o hospital não deu detalhes sobre o real estado de saúde. O caso lembra o de grande repercussão no Rio de Janeiro, do menino Henry, que morreu depois de ser espancado pelo padrasto, o vereador Jairinho.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).