Acampamento é desmontado da porta de prefeitura de Volta Redonda
<
VOLTA REDONDA

Atualizado às 13h35min.
Moradores retirados de uma área de posse que estavam acampados na porta da prefeitura de Volta Redonda, no Sul do Rio, foram retirados do local na manhã de domingo (1º). A praça Sávio Gama servia de abrigo há quase três meses de moradores sem teto, depois que Justiça determinou a reintegração de posse de uma área particular na divisa da cidade.
De acordo com a prefeitura, após monitoramento de quase dez dias, foi constatado pelo serviço de inteligência que as famílias que antes ocuparam o local tinham ido embora, e um pequeno grupo de pessoas não identificadas tinha tomado posse das barracas.
A desmobilização ocorreu sem resistência e foi decidida após denúncias que animais foram vítimas de maus tratos na praça. No sábado (31), uma briga generalizada entre pessoas que ocupavam as barracas foi registrada após um homem ser flagrado tentando violentar uma cadela.
Em reunião intermediada pela Cúria Diocesana, a prefeitura ofereceu emprego, aluguel social e cestas básicas para as famílias, entretanto, a proposta não foi aceita. A Igreja então se afastou das negociações e a prefeitura aguardou o retorno do grupo, que após algumas semanas deixou a praça.
A partir daí, as barracas começaram a ser ocupadas por pessoas estranhas ao movimento original, segundo a investigação. Durante a desmobilização, muito lixo e dejetos humanos foram encontrados no local. Todos foram orientados a procurar os abrigos da prefeitura e os serviços sociais. Nenhum pertence particular foi levado.
A desmobilização ocorreu sem resistência e foi decidida após denúncias que animais foram vítimas de maus tratos na praça. No sábado (31), uma briga generalizada entre pessoas que ocupavam as barracas foi registrada após um homem ser flagrado tentando violentar uma cadela.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).