Atualizado às 17h.

VOLTA REDONDA
Uma forte chuva que caiu no início da tarde desta sexta-feira (04) alagou diversas ruas no Centro de Volta Redonda, no Sul do Rio. Na Vila Santa Cecília, motoristas tiveram dificuldade para trafegar e pedestres tiveram que procuraram abrigo dentro de lojas e bancos. No Aterrado e na Amaral Peixoto também ocorreram alagamentos. Até agora, não houve registro de incidentes graves. Com a água baixando, várias vias ficaram cobertas de lama.
A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Volta Redonda está em estado de alerta decretado pelo prefeito Samuca Silva, até o fim de março. Duas equipes trabalham diariamente, e outras duas no horário da noite, somando plantões de 24 horas, acessadas pelo telefone 199.
O coordenador da Defesa Civil, Leandro Resende, orienta os moradores a não ficarem nas residências em casos de ameaças de inundação ou deslizamentos de terra próximo a moradia.
– O importante para as famílias, principalmente em casos de alagamentos ou deslizamento de terra, sair imediatamente da residência, ir para uma casa de parentes ou locais públicos nos bairros, e acionar a Defesa Civil que daremos uma resposta imediata – frisou Leandro.
Lama depois da chuva em Volta Redonda cobre ruas do Centro da cidade. (Foto: Pabline Venezia).
De acordo com o coordenador da Defesa Civil, o órgão tem fixadas réguas de medição do nível das águas do Rio Paraíba, uma na própria sede, e outras nas margens do rio, em pontos estratégicos que ajuda nas medidas preventivas que são necessárias junto aos moradores ribeirinhos. Dois pluviômetros ativos foram instalados nos bairros Retiro e Santa Cruz que medem a quantidade de chuvas e servem de parâmetros para estudos e futuras ações a serem tomadas.
Os bairros Vila Brasília, Água Limpa, Açude são focos de atenção da Defesa Civil devido a topografia dessas áreas, sujeitos a deslizamento de terras. Mas o coordenador disse que os investimentos feitos pelo poder público, minimizaram os riscos.
– Por meio do Furban, foram feitos investimentos em contenções de encostas e prossegue com os investimentos preventivos. Nós trabalhamos com cursos e palestras nas escolas, orientação direta com as associações de moradores e monitoramento das áreas. Acredito que todo esse trabalho preventivo minimizou os riscos. Não tivemos nenhuma ocorrência de gravidade para a comunidade – comparou. (Fotos: Redes Sociais e Pabline Venezia)
Mercado no Jardim Amália fica ilhado por conta da grande quantidade de chuva que caiu na cidade.