– ESPECIAL –


Atualizado às 22h54min.


VOLTA REDONDA 

Quase setenta dias de inaugura e a Rodovia do Contorno, Prefeito Nelson dos Santos Gonçalves, não tem uma jurisdição em caso de acidentes. Ninguém ainda sabe a quem recorrer para registrar um acidente. Um simples registro pode se tornar uma maratona para quem precisa comunicar o fato.

Em matéria de mobilidade no trânsito, a Rodovia do Contorno foi a obra mais importante inaugurada em 2017 para Volta Redonda e região. A quem recorrer em caso de um acidente no trecho, isso ainda é um mistério para motoristas, pedestres e até as autoridades.

O SUL FLUMINENSE ONLINE acompanhou com EXCLUSIVIDADE um caso real, na tarde desse domingo (18). O senhor Jorge Seabra, de 70 anos, e a esposa de 69, acabaram se envolvendo em um acidente com um caminhão, perto da saída da rodovia com a BR-393 (Rodovia Lúcio Meira). O acidente foi às 14h da tarde. Um caminhão bateu na lateral do Chevrolet/Cruze do senhor Jorge, depois dele se confundir com a sinalização. Felizmente o caminhão seguia devagar e a batida somente amassou de leve a lateral do carro. Um carro da Acciona, concessionária que administra a BR-393, estava há poucos metros do local do acidente. Sequer foram até o local saber o que havia acontecido.

Guarda Municipal deu apoio, mas não poderia registrar o acidente. (EXCLUSIVA – EVANDRO FREITAS)

Depois do ocorrido, começou uma verdadeira jornada para tentar registrar o fato. O SFO acionou a Supervisão da Guarda Municipal de Volta Redonda (GMVR). Imediatamente, uma viatura e um guarda foram mandados. O trânsito deu um nó. A equipe do SFO ajudou a sinalizar, enquanto a GMVR não chegava.

Cerca de uma hora depois, o guarda orientou que os motoristas seguissem para o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no sentido Barra do Piraí-RJ, na BR-393. Continuamos em contato com os motoristas. Segundo o senhor Jorge, a PRF não quis registrar o acidente, alegando que “o trecho NÃO ESTÁ SOB JURISDIÇÃO da PRF”.

Um guarda foi solicitado no posto da PRF. O SFO fez contato e a Supervisão da GMVR que mandou um agente até o posto. Segundo o motorista, a PRF não registrou o acidente e o próprio guarda fez o Boletim de Registro de Acidente de Trânsito (BRAT).

Depois de oito horas de espera foi que os motoristas foram liberados. Porém, a pergunta permanece. A quem se deve recorrer em caso de acidente na Rodovia do Contorno? Essa ainda é uma pergunta sem resposta (…)

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Absurdo….
    E fora q está muiiiiito confuso.
    Eu tentei ir pro Santo Agostinho quarta feira passada. Dei muitassss voltas. Acabei entrando na contra mão. Quase sofri um acidente, carro buzinando, ônibus… passei sufoco. Então, depois de muitas tentativas, desisti, e fui pelo aterrado pra chegar ao Santo Agostinho. Eu gostaria q se possível, houvesse sinalização no asfalto, com setas indicando. Iria facilitar muito. Obg

Comments are closed.