Atualizado às 19h40min.


VOLTA REDONDA 

Uma força-tarefa que envolveu diversos órgãos do governo municipal foi montada para inibir, na manhã desta quinta-feira (15), a expansão de uma invasão em área pública, na localidade conhecida como Parque Independência, nas proximidades do bairro Vila Rica/Três Poços. Foram derrubadas seis construções ainda em fase inicial.

O Ministério Público Federal e a prefeitura assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que determina algumas medidas a serem tomadas pelo município em áreas que ficam às margens do Rio Paraíba do Sul. Entre as determinações, está que o governo municipal deve fiscalizar, inibir e proibir novas construções de imóveis no local.

Participaram da força-tarefa as secretarias de Infraestrutura e Meio Ambiente; a Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil e o Fundo Comunitário de Volta Redonda (Furban). Há cerca de 15 dias, a mesma força-tarefa esteve no local e alertou os moradores sobre novas construções. Uma equipe do Furban ainda esteve na área para fazer um levantamento dos imóveis.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Rafael Champion, as construções ainda estavam em fase inicial. “Não houve resistência e conseguimos realizar, através da força-tarefa, a demolição dessas construções. Percebemos que muitas eram erguidas de forma precária, o que gera ainda mais riscos”, destacou.

Durante a ação, uma mulher foi detida pela Polícia Militar, que deu suporte a operação, por desacato a autoridade. Além disso, a prefeitura recebeu a denúncia de que estão sendo comercializados – de forma irregular – terrenos na área ocupada. Alguns moradores, que já estariam morando na ocupação, estariam vendendo lotes no local. A denúncia será apurada pelos órgãos competentes.

Segundo o prefeito, Samuca Silva (PODEMOS), o intuito é evitar ocupações irregulares e moradias sem estrutura. “A área fica em uma local, de grande risco, entre a linha férrea e o Rio Paraíba do Sul. Além disso, as construções estão sendo erguidas sem uma estrutura mínima, o que causa mais insegurança as pessoas. Nós orientamos para que os moradores façam inscrições nos programas habitacionais da secretaria municipal de Ação Comunitária”, lembrou. (Foto: Evandro Freitas)