Atualizado às 12h35min.

ESTADO
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), 46% dos entrevistados afirmaram ter conseguido organizar suas finanças para guardar parte das economias. O índice equivale a cerca de 5,9 milhões de consumidores do estado do Rio de Janeiro.
A sondagem realizada entre os dias 22 e 28 de outubro verificou ainda que, em média, cada consumidor conseguiu poupar R$ 2.710,84 nos últimos 12 meses. O motivo mais mencionado pelos fluminenses para guardar dinheiro foram as preocupações com despesas não previstas – cerca de 58,4% das pessoas preferem poupar para alguma necessidade inesperada.
Da parcela de pessoas que guardam dinheiro, 79,6% mantêm uma parcela dos seus recursos no banco e 26,6% optam por manter uma parcela em sua própria casa. Entre as pessoas que realizam algum tipo de investimento, a caderneta de poupança aparece em primeiro na lista de preferência de lugares para manter a aplicação, com 64,7%. A renda fixa está em segundo lugar no ranking, com 28,3% da preferência, e a renda variável aparece na terceira posição, com 15,8%.
O IFec-RJ ouviu também a parcela da população fluminense (37,4%) que não conseguiu poupar dinheiro. Segundo resultados do estudo, 57,8% das pessoas apontaram os rendimentos insuficientes como principal motivo para não conseguir guardar recursos. Já 19,3% das pessoas disseram que poderiam ter guardado, mas foram consumistas. Outra parcela dos entrevistados, 18,7%, disse que poderia ter poupado, mas ocorreram imprevistos.
Foto: Ilustrativa.

Comentários via Redes Sociais ou no portal:
(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).