Atualizado às 23h06min.

RODRIGO MATIAS
No dia 15 de maio aconteceram manifestações em todo o Brasil contra o atual governo Bolsonaro e muitas de suas políticas atuais. No dia 26, desse mesmo mês, aconteceram manifestações em apoio ao atual presidente e atual gestão.
Não quero nesta coluna entrar no mérito de qual manifestação foi maior ou menor, para mim, isso não é relevante. Preciso enfatizar algo maior. O de que continuamos divididos enquanto nação e agora nos tornamos algo mais complexo.
No “15M”, como os manifestantes do 15 de maio chamaram o movimento, apareceram pautas como o “Lula Livre”. Acredite, vi pessoas nas ruas que eram contrárias a essa ideia e outras, claro, a favor. No dia 26 de maio, vi pessoas defendendo várias pautas, como a legalização do porte de armas, e, acredite, vi pessoas nas ruas que eram contrárias a essa ideia e outras, claro, a favor.
O que quero dizer com isso? O Brasil está dividido? Sim! Sem falar que dentro de cada movimento existe também uma divisão clara. Nem toda pessoa contrária ao atual governo quer o ex-presidente Lula solto. Nem todo apoiador do atual governo Bolsonaro concorda 100% com as ações da atual gestão. Existe uma “divisão dentro das divisões”.
Eu sempre costumo dizer que o mundo não é preto e branco, existem os tons de cinza, e não estou falando de Dorian Gray. No passado, a bota era “vermelha”. Hoje ela é “azul”, mas continua no pescoço do povo.
A recente “divisão dentro das divisões”, ao meu ver, é benéfica, politicamente falando. Isso porque as pessoas (algumas) estão pensando que todo apoio ou rejeição precisa ser crítica e não cega.
Um exemplo, Bolsonaro tem seus defeitos? Claro! Mas nunca vi, em nossa história recente, um chefe do Executivo nacional ser tão massacrado pelos meios de comunicação. Todos os dias, repito, todos os dias, falam algo negativo dele. É sempre bom se perguntar qual é a razão disso? O homem é tão ruim assim, ou querem fazê-lo assim? Acredito que grande parte dos meios de comunicação nacional que tinham contratos bilionários (sim, BILIONÁRIOS, não apenas milionários) com governos anteriores não estejam satisfeitos com o fato do atual governo ter cortado suas verbas.
Por outro lado, veja o caso do ex-presidente Lula. Você acredita mesmo que alguém de sua envergadura política governou todo esse tempo sem dar ou receber propina? Fica o questionamento.
É preciso pensar…
Anseio pelo dia que vamos ver os políticos como eles de fato são, funcionários do povo. Também espero o dia em que vamos olhar uns para os outros não como “eles”, mas como “nós”. Mantenho a esperança. Até semana que vem. Abraços…

 


Comentários via Redes Sociais ou no portal:

(O Sul Fluminense Online não se responsabiliza por comentários na matéria).