Atualizado às 13h36min.


SAÚDE

Os danos à saúde para quem fuma são amplamente divulgados em campanhas de combate ao fumo. No entanto, os danos causados pelo cigarro em não-fumantes, ficam esquecidos. O tabagismo passivo pode causar câncer em quem convive com quem fuma. No dia 31/05 é comemorado o Dia Mundial Sem Tabaco e a data deve ser lembrada também nesse sentido.

A fumaça do cigarro é uma mistura de aproximadamente 4.720 substâncias tóxicas. Ao sair pela ponta do cigarro, se difunde pelo ar contendo três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono e até 50 vezes mais substâncias cancerígenas que a fumaça inalada pelo fumante. A exposição involuntária à fumaça do tabaco pode acarretar desde reações alérgicas em curto período, até infarto ou câncer de pulmão em adultos expostos por longos períodos.

Por essa razão, em 2011 foi aprovada Lei que proíbe fumar em ambientes fechados. No entanto, a medida não extinguiu o vício. Atualmente, 10,8% da população brasileira, cerca de 22 milhões de pessoas, são fumantes, segundo o INCA (Instituto Nacional de Combate ao Câncer). Para 2018, o instituto estima 31.270 novos casos de câncer de pulmão no Brasil. As consequências da dependência do tabaco estão apresentando novos dados, como o prejuízo do desempenho no ambiente de trabalho.

Por estarem proibidos de fumar no ambiente corporativo, profissionais que fumam precisam interromper a jornada de trabalho para fumar. O rendimento do funcionário fumante pode chegar a prejudicar até 20% da sua rotina de trabalho, sem contar as baixas por motivos de saúde. Isso sem contar o cálculo de faltas, licenças médicas e aumento do uso no plano de saúde com a associação direta da influência do cigarro em doenças vasculares, cardíacas e tipos de cânceres específicos.

O GAPC é uma entidade sem fins lucrativos que assiste pacientes com câncer oferecendo em sua unidade social toda assistência complementar ao tratamento da doença pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Conheça e ajude este trabalho a chegar em mais pessoas. O SFO apoio esse trabalho. Acesse o site e conheça (http://www.gapc.org.br/volta-redonda)