Atualizado às 12h22min.


VOLTA REDONDA

Técnicos do Saae-VR (Serviço de Autônomo de Água e Esgoto de Volta Redonda) passaram a quinta-feira (08), atendendo a população da região do Vila Rica-Três Poços. Carros pipas da autarquia municipal abasteceram os dois reservatórios que há no condomínio “Minha Casa, Minha Vida”, onde residem 480 famílias – aproximadamente três mil pessoas divididas em trinta blocos.

Os trabalhos começaram pela manhã e seguem até às 22 horas e quatro veículos estão sendo utilizados no atendimento. Segundo o Saae-VR, como não há reservatórios superiores (caixa d’água) em cada bloco, os moradores dependem dos reservatórios coletivos – cada um tem a capacidade 140 mil metros cúbicos de água.

O trabalho do órgão foi elogiado pela população. A dona de casa Vanessa Galvão, de 27 anos, destacou a dedicação dos funcionários do Saae. “Eles sempre estão aqui para nos ajudar”, disse a moradora do condomínio.

Quem também elogiou o trabalho da autarquia foi a moradora Camila Santos, de 37 anos. “Todas às vezes que pedimos auxílio ao Saae somos atendidos com carros-pipa. Hoje (quinta-feira) os caminhões estão nos abastecendo a todo momento”, afirmou a moradora.

O Saae marcará uma reunião com um representante de cada bloco para explicar todo o sistema de abastecimento de água do condomínio. A determinação veio do diretor-executivo da autarquia, José Geraldo Santos, o Zeca, que acompanhou o trabalho em Três Poços na tarde desta quinta-feira.

Terminam em março as obras da nova rede de abastecimento

(EVANDRO FREITAS)

Zeca ainda explicou sobre as obras da nova rede de abastecimento de água do bairro Vila Rica-Três Poços. São três quilômetros de rede para uma região com 15 mil moradores. Orçada em quase R$ 1 milhão, com recursos próprios do Saae. Os trabalhos devem terminar no final de março de 2018.

Com o término da construção, a rede de Três Poços será independente da rede do bairro Água Limpa. O que, segundo os técnicos do Saae, vai sanar a deficiência de água, um antigo problema enfrentado pela comunidade, principalmente no período de verão.

A obra está em andamento. Na segunda etapa do investimento será a construção de um reservatório com a capacidade de um milhão de litros. Ele será instalado num morro na altura do ginásio poliesportivo Heth Lustosa Bastos. Neste caso, as obras começarão no segundo semestre, o que vai possibilitar que a água chegue com maior pressão às residências da região.

“Será pela força da gravidade. Por isso, escolhemos o morro mais alto da região para instalar o reservatório. Em caso de emergência, o reservatório terá a capacidade de abastecer a região por, pelo menos, três dias”, explicou Zeca, em caso de falta d’água na região.

(EVANDRO FREITAS)