Atualizado às 16h30min.


VOLTA REDONDA

São mais se 40 pontos de vacinação em toda a cidade. Todos os postos, a partir desta terça-feira (16) estarão atendendo à população das 8h às 17h, de segunda à sexta-feira. O anúncio oficial foi feito nesta segunda (15), na sede da Secretaria de Municipal de Saúde, pelo prefeito Samuca Silva (PODEMOS), pelo Secretário de Saúde, Alfredo Peixoto e outras autoridades municipais de saúde.

O prefeito garantiu que serão 110 mil doses, disponibilizadas pela Secretaria Estadual de Saúde, estarão em todas as unidades da Atenção Básica. “Esse número de doses permitiu a descentralização da oferta. Agora, todas as 44 Unidades Básicas de Saúde vão aplicar a vacina. O funcionamento é de segunda à sexta-feira, das 8 às 17h”, afirmou o prefeito, acrescentando que “de acordo com a procura pela vacina, será verificada a necessidade, ou não, de abrir as unidades também aos sábados”.

Samuca também afirmou que, apesar dessa intensificação da oferta da vacina contra a febre amarela, Volta Redonda vai participar da campanha prevista para fevereiro. “Vamos abrir as unidades no sábado, 24 de fevereiro, previsto como o Dia D da campanha de vacinação”, disse.

(EVANDRO FREITAS)

De acordo com o secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, o município vacinou, em 2017, mais de 40 mil pessoas. “Agora, temos quase três vezes o número de doses e vamos atender uma parcela bem maior da população, principalmente, com o acesso facilitado”, disse Alfredo, completando que o governo do estado se comprometeu a enviar mais doses se houver necessidade.

“A vacinação contra febre amarela é muito importante para toda a população, mas os moradores de áreas rurais e áreas limítrofes a áreas silvestres, além das pessoas que vão viajar para áreas endêmicas, devem ter uma preocupação um pouco maior e se vacinar o quanto antes”, esclareceu Alfredo Peixoto.

Quem deve ser vacinado

O público alvo da vacina é formado por pessoas de 09 meses de idade até os 59 anos. Os idosos, a partir dos 60 anos, as gestantes e os pacientes imuno deprimidos – em tratamento de câncer e contra o HIV, por exemplo, só serão vacinados munidos de documento com indicação médica.