Atualizado às 17h47min.


VOLTA REDONDA

Com objetivo de aproximar o poder público dos bairros, a prefeitura de Volta Redonda irá criar coordenadorias regionais. A informação foi passada pelo prefeito Samuca Silva a representantes das associação de moradores, durante encontro na noite desta terça-feira (10), no auditório do Palácio 17 de Julho, no Aterrado. O objetivo é ter representantes da prefeitura mais próximos dos bairros, para receber demandas e dar soluções com mais celeridade aos problemas.

Samuca destacou que o projeto de coordenadorias regionais será implantado de forma gradativa. “Vamos começar criando essa coordenadoria na região do Complexo do Roma, respeitando alguns critérios. Queremos aumentar a representatividade no bairro, recebemos as demandas de forma mais ágil dos moradores e das associações”, disse.

O prefeito ainda disse que o projeto não vai aumentar os gastos públicos. “Não teremos mais cargos comissionados, mais funcionários, nem aumentar a estrutura pública. Vamos remanejar, através de gestão, funcionários para essa função de coordenadoria regional. Estaremos mais próximos de vocês. Começaremos no Roma e depois vamos ampliando o projeto para outras regiões da cidade”, afirmou Samuca.

Samuca também sugeriu que, os próximos encontros com as associações, sejam feitas nos bairros, através de divisão da cidade por regiões. O prefeito pediu para que a Federação das Associações de Moradores (FAM) façam um cronograma anual de encontros.

O encontro com as associações de moradores, que tiveram a presença de mais 40 associações, teve o objetivo de debater o Orçamento Participativo. A reunião contou com a presença de representantes da Secretaria de Planejamento, Transparência e Modernização da Gestão (SEPLAG).

O vice-prefeito Maycon Abrantes, que também é secretário de Ação Comunitário (Smac), lembrou que os encontros para debater a cidade junto com as associações são constantes. “É o Orçamento Participativo é uma forma democrática da população sugerir e apontar as necessidades dos bairros. Estamos avançando, com muito diálogo. Nossos encontros vão continuar durante todo o ano”, disse Maycon.

– Quem conhece a realidade dos bairros, seus problemas e possíveis soluções são os moradores. Por isso é importante fortalecer esse instrumento. O Orçamento Participativo, feito no ano passado, foi bom. Mas queremos fortalecer ainda mais esse ano. Foi criado o Comitê Gestor do OP, que tem o objetivo de fiscalizar a implantação do Orçamento Participativo. Isso foi um grande avanço – destacou Fátima Martins, a presidente da Federação das Associações de Moradores (FAM).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui