– ESPECIAL –


Atualizado às 


VOLTA REDONDA 

Um acidente com um ônibus da Viação Sul Fluminense, na última quinta-feira (04), assustou passageiros e pedestres, no bairro Aterrado, em Volta Redonda-RJ. O veículo teria perdido o volante e batido em um ponto de ônibus ao lado de uma escola e cheio de passageiros a espera do ônibus. O SUL FLUMINENSE ONLINE foi o único veículo de imprensa da região que repercutiu o acidente. Felizmente ninguém se feriu. (relembre o caso)

No dia seguinte procuramos os responsáveis, o sindicato das empresas e a prefeitura para saber o que acontece nesses casos. O primeiro contato foi com o SindPass. Por telefone, falamos com o setor jurídico e de comunicação do sindicato que por se tratar de um acidente de trânsito “específico”, teríamos que entrar em contato com a empresa.

Questionada, a prefeitura disse que, por meio da secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU), que o veículo estava com o a vistoria do Detran-RJ, Imetro e da secretaria em dia. Além dos impostos. A prefeitura disse ainda que empresa foi multada e obrigada a recompor os danos ao ponto de ônibus.

Volante teria sido retirado depois da batida, segundo a empresa

Tentamos por dois dias. Depois de tentar por telefone e pelas redes sociais da empresa, nesta segunda-feira (08) recebemos o telefonema para ouvir a versão da empresa sobre o caso. Fomos, na tarde dessa terça-feira (09), até a sede da Viação Sul Fluminense. Fomos recebidos pelo engenheiro Márcio Carvalho Lima, responsável pela empresa. Apesar de lamentar o ocorrido e comemorar que ninguém se machucou, ele minimizou ao afirmar que “a proporção de acidentes pelo número de ônibus que circula na cidade é muito pequena”.

Segundo o engenheiro, a empresa deu todo apoio ao motorista, com acompanhamento psicológico e profissional. Ele destacou que o motorista é “treinado e antigo na empresa”. O responsável pela manutenção da frota afirmou que o volante não se soltou antes do ônibus bater no ponto, mas foi retirado após a colisão. O representante da empresa afirmou ainda que todos os veículos seguem uma manutenção “rigorosa”, dia e noite. Perguntamos se o acidente teria semelhança com outro ocorrido há um ano, em cima do viaduto Nossa Senhora das Graças, que liga o Centro ao bairro Aterrado. Na ocasião o motorista invadiu a passarela, depois de fazer uma curva. Parte da estrutura da passarela metálica foi destruída.

A empresa acredita que a chuva e uma possível colisão com um buraco, pedra ou meio fio pode ter causado o problema mecânico que ocasionou na batida. “O motorista não teve culpa e vai continuar na empresa. O ponto já foi consertado. Imaginamos que ele pode ter passado em u m buraco grande e causado um baque forte, que pode ter resultado no problema com a direção. Mesmo assim, por estar em uma velocidade reduzida ele evitou o pior”, frisou o engenheiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui