(EVANDRO FREITAS)

Atualizado às 20h22min.


VOLTA REDONDA

Reforçar o atendimento na Atenção Básica, uma das prioridades da Secretaria de Saúde de Volta Redonda-RJ, com bom acolhimento à população é a principal função dos profissionais do Programa Mais Médicos que começam a trabalhar nesta segunda-feira (08), no município. Esse foi o recado passado pelo secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, que recebeu os novos médicos no auditório da secretaria. Ele ressaltou que “garantir atendimento de qualidade na base é primordial para termos um sistema de saúde pública eficiente”.

As Unidades Básicas de Saúde da Família beneficiadas com os cinco novos médicos estão nos bairros Padre Josimo, Volta Grande, Vila Mury, Vila Brasília e Siderlândia, sendo que Volta Redonda ainda conta com o reforço do Programa Mais Médicos nas unidades da Vila Americana, Água Limpa e Belo Horizonte. Os novos médicos vão atuar no município por, pelo menos, três anos.

Esses profissionais foram contratados pelo edital de 27 de novembro do ano passado, exclusivo para médicos brasileiros ou formados no Brasil. O casal Aline Ferreira da Silva Chaves e Marcos Masceno Chaves, ela de Nilópolis, no Rio, e ele do Ceará, fizeram o curso de medicina no Acre. Ambos escolheram atuar em Volta Redonda quando se inscreveram no Programa Mais Médicos.

“Fizemos uma pesquisa e achamos que Volta Redonda nos garantiria melhor qualidade de vida. Não é uma cidade muito grande, mas com muitos recursos. Além de estar numa região com fácil acesso aos grandes centros – entre o Rio e São Paulo –, há várias cidades turísticas no entorno”, disse Marcos, ressaltando que a boa estrutura do sistema de saúde pública no município também pesou na hora da escolha.

O coordenador do programa no município, o médico José Antônio Pereira Fernandes, que também atua no SAD (Serviço de Atenção Domiciliar) do município, acredita que o Mais Médicos, implantado em Volta Redonda em 2014, foi muito bom para a saúde do município. “Cuido do horário de trabalho e estudo desses profissionais além de observar as relações dentro da unidade”, explicou, completando que “só participa do programa quem se enquadra no perfil: são profissionais cuidadosos, respeitosos, disciplinados e que não vêem o usuário como doente e sim como pessoa”, afirmou.

Um exemplo de profissional que se encaixou no perfil do Mais Médicos, é Vitor Benício Armenteros, médico cubano que atua na unidade do bairro Belo Horizonte desde 2014 e já está no segundo contrato pelo programa. “Me sinto em casa na comunidade e vim receber meus novos colegas para garantir que esse trabalho será uma experiência para a vida toda”.

O Programa Mais Médicos (PMM), do Governo Federal, é uma das iniciativas para o fortalecimento da Atenção Básica do país. Lançado em 2013, o programa contrata médicos brasileiros ou estrangeiros para atuar na rede pública de saúde de municípios do interior e nas periferias das grandes cidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Deixe seu nome aqui